Está aqui

Capital de Risco pode impulsionar investimento de base tecnológica

Separadores primários

A CCDR Algarve dinamizou no dia 16 de Julho uma Sessão de Reflexão sobre o papel do capital de risco no desenvolvimento de empresas de base tecnológica que sentou à mesma mesa o presidente da Portugal Ventures, Epifânio da Franca, o presidente da CCDR David Santos, o Reitor da Universidade do Algarve João Guerreiro e líderes de projetos empresariais.

A iniciativa terá continuidade com outras sessões a realizar nos próximos meses e teve por objetivo proporcionar um primeiro contacto e a apresentação da Sparos, Caviar Portugal, Geneogla, Marsensing, Rowbotics, iniciativas empresariais com diferentes graus de amadurecimento e de estruturação que tiveram oportunidade de apresentar à Portugal Ventures os seus projectos.

Com cerca de 140 milhões de euros disponíveis, e um volume de 600 milhões de euros investidos nos 26 fundos de investimento que gere, a Portugal Ventures vai centrar a sua atuação em 3 eixos:
- lançamento do programa de ‘Ignição’, para financiamento da inovação e projectos com origem em incubadoras e centros de promoção de empreendedorismo de base científica e tecnológica, para geração de negócios com elevado potencial de crescimento;

- participação de capital em start-ups de base tecnológica nas fases iniciais do seu desenvolvimento e no crescimento do negócio;

- revitalização do tecido económico tradicional de bens transacionáveis, através da participação em negócios de reestruturação empresarial, consolidação sectorial e de apoio a processos de internacionalização de empresas. 

A Portugal Ventures é a nova capital de risco do Estado e resulta da união de três capitais de risco até agora dispersas: a Inovcapital, a Aicep Capital Global e a Turismo Capital e pretende apoiar mais e melhor os empreendedores portugueses. Recomendamos uma visita ao "site" www.portugalventures.pt.