Está aqui

Algarve com recuperação dos movimentos em todos os modos de transporte no 3º Trimestre de 2014

Separadores primários

"Indicadores do 3º Trimestre de 2014 evidenciam uma clara recuperação dos movimentos em todos os modos de transporte, com maior expressão sobretudo no tráfego da A22 e nas ligações com o território nacional: movimento ferroviário de passageiros, movimento de passageiros nas carreiras rodoviárias inter-regionais e no tráfego da A2"

Os dados do 3º Trimestre de 2014 revelam aumentos significativos no movimento de passageiros no modo ferroviário (serviços regionais e de longo curso), nos tráfegos dos principais eixos regionais (e também nos eixos secundários), e nas ligações marítimas fluviais. Também no movimento de passageiros no transporte colectivo rodoviário há assinaláveis aumentos, sobretudo nas carreiras urbanas, que invertem uma longa série de decréscimos consecutivos.

1 - Transporte fluvial/marítimo:

No 3º trimestre de 2014, as carreiras da Ria Formosa transportaram um total de 1.480.355 passageiros, correspondendo a um acréscimo de 5,2% relativamente ao trimestre homólogo do ano anterior (2013). A carreira do Guadiana (Vila Real de Santo António - Ayamonte) transportou um total de 60.439 passageiros, resultando num acréscimo de 11,2% relativamente ao trimestre homólogo do ano anterior.

Quanto ao movimento na Ria Formosa destaca-se: a) é o segundo trimestre do ano em que há crescimento em relação aos trimestres homólogos do ano anterior (2013); b) após 3 Verões de perdas consecutivas de movimento, os valores deste Verão constituem a primeira variação trimestral homóloga positiva desde 2010.  Quanto à carreira do Guadiana, assinale-se o facto de o movimento deste Verão constituir a terceira variação trimestral homóloga positiva, parecendo assim consolidar um processo de inversão no acentuado decréscimo dos últimos anos.

2 - Transporte ferroviário:

No 3º trimestre de 2014, o serviço regional (Lagos – V. R. de Santo António) transportou um total de 464.654 passageiros, o que traduz um acréscimo de 4,7% relativamente ao trimestre homólogo do ano anterior (2013). O serviço de Longo Curso (ligações dos serviços Alfa e Intercidades) movimentou um total de 238.647 passageiros, o que corresponde a um acréscimo de 11,2% relativamente ao trimestre homólogo do ano anterior. Em ambos os serviços é de assinalar o facto de este trimestre constituir o quinto trimestre consecutivo de variações trimestrais homólogas positivas (desde o 3º T2013).

3.1 - Tráfego nos principais eixos rodoviários:

No 3º trimestre de 2014, o Tráfego Médio Diário (TMD) no troço da A2 “Almodôvar / S. B. Messines” situou-se nos 15.535 veículos, correspondendo a um aumento de 7,8% em relação ao trimestre homólogo do ano anterior (2013). Na A22, o TMD situou-se nos 14.952 veículos, o que corresponde a um aumento de 9,0% em relação ao trimestre homólogo anterior. Na Ponte Internacional do Guadiana, o TMD situou-se nos 9.695 veículos, o que corresponde a um acréscimo de 4,9% relativamente ao trimestre homólogo anterior.

De novo, e para ambas as vias estruturantes (A2 e A22), os sinais de recuperação aparentam consolidar-se: trata-se do 5º trimestre consecutivo de variações positivas. Neste trimestre, também o TMD na P. I. do Guadiana apresenta uma variação trimestral homóloga positiva, que põe fim a 10 trimestres consecutivos de variações negativas.

3.2 - Tráfego nos eixos rodoviários secundários:

No troço do IC1 (S. B. de Messines / Tunes), paralelo à A2, foi registado um TMD de 8.860 veículos, o que corresponde a um acréscimo de 1,3% relativamente ao trimestre homólogo anterior (2013). No troço da EN125 (S. J. Venda / Faro), registou-se um TMD de 48.563 veículos, correspondente a um acréscimo de 1,2% relativamente ao trimestre homólogo anterior. No troço da EN125 (Odiáxere / Estômbar), o TMD foi de 25.748 veículos, correspondendo a um decréscimo de 3,6% relativamente ao trimestre homólogo anterior. E no troço da EN125 (Tavira / Monte Lagoa), foi registado um TMD de 21.401 veículos, o que corresponde a um acréscimo de 3,0% relativamente ao trimestre homólogo anterior.

No troço do IC4 (Odeceixe / Aljezur), foi registado um TMD de 5.373 veículos, o que corresponde a um acréscimo de 2,3% relativamente ao trimestre homólogo anterior. No troço da ER270 (S. B. de Alportel / Sta. C. Fonte do Bispo), registou-se um TMD de 2.885 veículos, correspondente a um acréscimo de 2,6% relativamente ao trimestre homólogo anterior. E no troço da EN122 (Mértola / Sta. Marta) registou-se um TMD de 2.281 veículosmais 0,9% que no trimestre homólogo anterior.

Com excepção do troço da EN125 entre Odiáxere e Estombar, todos os restantes seis troços dos eixos secundários registaram acréscimos em relação ao trimestre homólogo anterior (2013). Como nota de destaque, registe-se ainda que, neste trimestre, houve variações positivas simultaneamente no troço da A2 e no troço paralelo do IC1.

4 - Transporte colectivo rodoviário:

No 3º trimestre de 2014, foram transportados 1.216.320 passageiros nas ligações urbanas regionais, mais 0,9% do que no trimestre homólogo anterior (2013). As ligações inter-urbanas (regionais) transportaram um total de 1.174.434 passageirosmenos 0,5% relativamente ao trimestre homólogo anterior.

As ligações inter-regionais asseguraram o transporte de 333.522 passageirosmais 2,1% relativamente ao trimestre homólogo anterior (2013); enquanto as ligações internacionais (carreira Lagos – Sevilha) transportaram um total de 13.664 passageirosmais 4,9% relativamente ao trimestre homólogo anterior.

Como principal destaque do modo rodoviário colectivo há essencialmente a destacar o valor positivo para a variação trimestral homóloga nas carreiras urbanas (a primeira nos últimos 10 trimestres). Por outro lado, o movimento nas carreiras inter-regionais regista a segunda variação positiva consecutiva, deixando assim de perder para a alternativa ferroviária.

5 - Transporte Aéreo:

Face à decisão da ANA – Aeroportos de Portugal, SA, em suspender a autorização para a disponibilização da informação relativa aos indicadores “número de voos”, “passageiros transportados” e “passageiros transportados de/para aeroportos nacionais”, não é possível, de momento, dar continuidade ao acompanhamento das dinâmicas do transporte aéreo.

Consulte aqui o boletim completo sobre Mobilidade e Transportes