Está aqui

Algarve 21 triplica a execução em relação a 2009

Separadores primários

Até ao final de 2010 concorreram ao Programa Operacional Regional do Algarve (PO ALGARVE 21) mais de 420 candidaturas, tendo sido aprovados 221 projectos, com um volume de investimento elegível superior a 185 milhões de euros e um apoio financeiro na ordem dos 68 milhões de euros.

Estas são as conclusões do Seminário de Apresentação de Resultados, realizado hoje na CCDR Algarve, onde João Faria, presidente da Comissão Directiva do PO Algarve 21 procedeu a um balanço público dos fundos comunitários na Região do Algarve, no âmbito do QREN e apresentou a execução do Programa..

Em termos qualitativos, a distribuição do investimento aprovado concentra-se predominantemente no Eixo 1, nas tipologias de apoio directo às empresas – Sistemas de Incentivos que representam 32% do total das aprovações do Programa. Nos Eixos 2 e 3 destacam-se as tipologias “Rede Escolar” (16%), “Parcerias para a Regeneração Urbana” (10%) e “Acções de Valorização do Litoral” (8%).

Os concelhos com maior volume de aprovações foram Portimão (22,3%), seguido de Vila do Bispo (17,2%) e Faro (15,9%).

Durante o ano 2010 estiveram abertos 20 concursos, foram aprovados 125 projectos com um investimento elegível de 131 Milhões de Euros e uma comparticipação FEDER de 42,1 Milhões de Euros.

O Algarve terminou 2010 com uma execução de cerca de 13% relativamente à dotação programada para o PO Algarve 21 (2007-2013). Este volume de execução ronda os 53 milhões de Euros ao qual corresponde uma comparticipação de fundos comunitários (FEDER) de 22 Milhões de Euros.

Os pagamentos efectuados aos executores ascendiam no final do ano a 19 Milhões de Euros.

Em Dezembro de 2010 as aprovações tinham duplicado o valor de Outubro de 2009 e a execução tinha triplicado o valor de Dezembro de 2009.

Integrado nesta sessão de dia 13 de Janeiro, foi apresentado o instrumento financeiro JESSICA - Fundo de Investimento para a Reabilitação Urbana, onde foram oradores convidados Nuno Vitorino, responsável do JESSICA para Portugal, Pedro Couto do BEI, Banco Europeu de Investimento e Luís Gomes presidente do Município e da SRU_Sociedade de Reabilitação Urbana de Vila Real de Santo António.

Consulte a documentação da sessão aqui.