Está aqui

Acréscimos nos fluxos e movimentos de passageiros no Algarve consolidados no 4º trimestre 2013

Separadores primários

Os dados do 4º Trimestre de 2013 demonstram de forma clara um generalizado aumento dos fluxos de transporte na Região. Com exceção do movimento de passageiros nas carreiras inter-urbanas e inter-regionais do transporte colectivo rodoviário, todos os restantes fluxos de passageiros e de veículos nos diversos modos de transporte apresentam crescimentos positivos em relação ao trimestre homólogo anterior (2012). No entanto, destaca-se o segundo aumento consecutivo do movimento de passageiros no sistema ferroviário regional; o crescimento do movimento de passageiros na carreira fluvial do Guadiana (a segunda vez em 24 trimestres, e volvidos 7 trimestres desde a primeira vez); a consolidação do crescimento dos TMD na A2 e A22, após uma dezena de trimestres de decréscimos sucessivos; e o aumento do movimento de passageiros nas carreiras inter-urbanas (regionais) do transporte colectivo rodoviário (a segunda vez que tal ocorre nos últimos 24 trimestres).

1 - Transporte fluvial/marítimo:

No 4º trimestre de 2013, as carreiras da Ria Formosa transportaram um total de 68.722 passageiros, correspondendo a um crescimento de 13,0% relativamente ao trimestre homólogo do ano anterior (2012). A carreira da travessia do Guadiana (Vila Real de Santo António - Ayamonte) transportou um total de 23.565 passageiros, resultando num crescimento de 7,6% relativamente ao trimestre homólogo do ano anterior.

A variação positiva registada no movimento na Ria Formosa retoma a variação homóloga positiva ocorrida nos 2 primeiros trimestres do ano, apenas interrompida no 3º trimestre. Quanto à carreira do Guadiana, destaca-se o valor positivo da variação trimestral homóloga, o que ocorre pela segunda vez nos últimos 24 trimestres analisados. Apenas no 1º T2012 havia ocorrido uma variação positiva, havendo assim naturais expectativas de que nos próximos trimestres se consolide uma inversão no já longo decréscimo do movimento de passageiros no Guadiana.

2 - Transporte ferroviário:

No 4º trimestre de 2013, o sistema ferroviário regional (Lagos – V. R. de Santo António) transportou um total de 375.198 passageiros, o que significa um acréscimo de 12,7% relativamente ao trimestre homólogo do ano anterior (2012). O Longo Curso (ligações dos serviços Alfa e Intercidades) movimentou um total de 117.691 passageiros, correspondendo a um acréscimo de 11,0% relativamente ao trimestre homólogo do ano anterior.

No caso do sistema regional, trata-se da segunda variação trimestral positiva consecutiva, particularmente importante pelo valor (12,7%) mas também porque reforça a inversão para valores positivos iniciada no trimestre anterior e porque permite concluir o ano com um valor global superior ao do ano anterior (2012). Quanto ao Longo Curso, o acréscimo de 11,0%, como no sistema regional, reforça a inversão para valores positivos iniciada no trimestre anterior e permite, igualmente, concluir o ano com um valor global superior ao do ano anterior.

3 - Tráfego nos principais eixos rodoviários:

No 4º trimestre de 2013, o Tráfego Médio Diário (TMD) no troço da A2 “Almodôvar / S. B. Messines” situou-se nos 5.065 veículos, correspondendo a um aumento de 5,4% em relação ao trimestre homólogo do ano anterior (2012). Na A22, o TMD situou-se nos 6.324 veículos, o que corresponde a um aumento de 13,1% em relação ao trimestre homólogo anterior.

Para ambas as vias, assinale-se que os valores para o 4º trimestre de 2013 reforçam e consolidam as variações positivas observadas no trimestre anterior, que interromperam séries de 11 variações trimestrais homólogas negativas consecutivas, iniciadas no 4º trimestre de 2010.

No troço do IC1 – entre S. B. de Messines e Tunes –, que corre paralelo à A2, foi registado um TMD de 6.626 veículos, o que corresponde a um aumento de 14,7% relativamente ao trimestre homólogo anterior (2012). No troço da EN125 – entre S. João da Venda e Faro –, registou-se um TMD de 37.369 veículos, correspondente a um ligeiro decréscimo de 0,03% relativamente ao trimestre homólogo anterior. No troço da EN125 – entre Odiáxere e Estômbar –, o TMD foi de 20.203 veículos, correspondendo a um ligeiro aumento de 1,2% relativamente ao trimestre homólogo anterior. E no troço da EN125 – entre Tavira e Monte Lagoa –, foi registado um TMD de 12.709 veículos, o que corresponde a um aumento de 3,4% relativamente ao trimestre homólogo anterior.

Com excepção do troço da EN125 de entrada (poente) na cidade de Faro, todos os restantes troços registaram acréscimos em relação ao trimestre homólogo anterior. Destaca-se, em particular, o troço do IC1 que, após 8 trimestres consecutivos de perdas, registou agora um crescimento significativo.

4 - Transporte colectivo rodoviário:

No 4º trimestre de 2013, foram transportados 1.180.687 passageiros nas ligações urbanas regionais, menos 21,8% do que no trimestre homólogo anterior (2012). As ligações inter-urbanas (regionais) transportaram um total de 1.536.754 passageiros, mais 0,1% relativamente ao trimestre homólogo anterior.

As ligações inter-regionais asseguraram o transporte de 150.487 passageiros, menos 6,7% relativamente ao trimestre homólogo anterior (2012); enquanto as ligações internacionais (carreira Lagos – Sevilha) transportaram um total de 4.520 passageiros, mais 9,8% relativamente ao trimestre homólogo anterior.

Como principal destaque do modo rodoviário colectivo registe-se sobretudo: a quebra acentuada do movimento das carreiras urbanas (superior a 20% neste trimestre, tal como em todos os trimestres de 2013); o crescimento positivo do movimento nas carreiras inter-urbanas (embora o seu valor seja muito reduzido é, ainda assim, a segunda vez nos últimos 24 trimestres em que não há decréscimo); o decréscimo do movimento nas carreiras inter-regionais (que assim, neste trimestre, perde para o modo ferroviário do Longo Curso).

5 - Transporte Aéreo:

Face à decisão da ANA – Aeroportos de Portugal, SA, em suspender a autorização para a disponibilização da informação relativa aos indicadores “número de voos”, “passageiros transportados” e “passageiros transportados de/para aeroportos nacionais”, não nos é possível, de momento, dar continuidade ao acompanhamento que temos feito sobre as dinâmicas do transporte aéreo.

Consulte aqui o boletim completo sobre Mobilidade e Transportes.