Está aqui

3º Trimestre de 2013 recupera fluxos e movimentos de passageiros

Separadores primários

Os dados do 3º Trimestre de 2013 reforçam os sinais de abrandamento dos decréscimos nos fluxos e movimentos de passageiros trazidos do trimestre anterior, evidenciando mesmo a retoma de alguns fluxos e movimentos que apontam para sinais de abrandamento dos decréscimos em alguns dos movimentos e fluxos de transporte na Região do Algarve, e também para a recuperação em modos de transporte que, há muito, apresentavam variações trimestrais homólogas consecutivamente negativas. Os TMD nos principais eixos rodoviários regionais (A2 e A22), embora ainda inferiores aos registados no período homólogo do ano anterior, deixaram de apresentar quebras tão acentuadas, podendo eventualmente deixar antever uma recuperação, que só os dados do próximo trimestre poderão confirmar. As carreiras inter-urbanas (regionais) do transporte colectivo rodoviário registaram, ao fim de 21 trimestres consecutivos de decréscimos, um crescimento positivo; o movimento nas carreiras internacionais (Lagos/Sevilha) apresenta também um crescimento positivo; e o movimento de passageiros nas embarcações da Ria Formosa regista também um crescimento positivo.

1 - Transporte fluvial/marítimo:

No 3º trimestre de 2013, as carreiras da Ria Formosa transportaram um total de 1.406.727 passageiros, correspondendo a um decréscimo de 4,7% relativamente ao trimestre homólogo do ano anterior (2012). A carreira da travessia do Guadiana (Vila Real de Santo António - Ayamonte) transportou um total de 54.369 passageiros, resultando num decréscimo de 4,0% relativamente ao trimestre homólogo do ano anterior (2012).

A variação homóloga negativa registada no movimento de passageiros da Ria Formosa interrompe as duas variações homólogas positivas ocorridas nos dois trimestres anteriores, e demonstra que o movimento de turistas nas ilhas-barreira foi, no Verão de 2013, inferior ao movimento do Verão de 2012. Quanto à carreira do Guadiana, o valor da variação homóloga para este 3º trimestre volta a ser negativo, inserindo-se assim na longa série (desde 2007) de variações homólogas negativas, apenas por uma vez interrompida (1º T 2012).

2 - Transporte ferroviário:

No 3º trimestre de 2013, o sistema ferroviário regional (Lagos - Vila Real de Santo António) transportou um total de 443.822 passageiros, o que significa um acréscimo de 6,9% relativamente ao trimestre homólogo do ano anterior (2012). O Longo Curso (ligações dos serviços Alfa e Intercidades) movimentou um total de 214.707 passageiros, correspondendo a um acréscimo de 2,6% relativamente ao trimestre homólogo do ano anterior (2012).

No caso do sistema regional, esta variação trimestral assume particular relevância, não só pelo valor (quase 7% positivos), mas também porque interrompe uma sequência de 11 variações trimestrais homólogas negativas (desde o 4º trimestre de 2010). Quanto às ligações do Longo Curso, o acréscimo de 2,6% relativamente ao 3º trimestre de 2012 interrompe uma série de 4 variações trimestrais homólogas negativas, e revela que o modo ferroviário terá constituído, no Verão de 2013, uma opção mais procurada que no Verão anterior.

3 - Tráfego nos principais eixos rodoviários:

No 3º trimestre de 2013, o Tráfego Médio Diário (TMD) no troço da A2 “Almodôvar / S. B. Messines” situou-se nos 14.410 veículos, correspondendo a um aumento de 3,0% em relação ao trimestre homólogo do ano anterior (2012). Na A22, o TMD situou-se nos 13.717, um valor praticamente idêntico ao do trimestre homólogo anterior (TMD de 13.712 veículos) mas que, em todo o caso, constitui uma variação homóloga positiva (0,04%)

Em ambas as vias, é de assinalar que os valores para o 3º trimestre de 2013 vêm interromper séries de 11 variações trimestrais homólogas negativas consecutivas, iniciadas no 4º trimestre de 2010. Ter-se-á que aguardar pelos valores para o 4º trimestre para se apurar se a inversão do declínio do tráfego (com quase 3 anos) está consolidada, ou se o 3º trimestre de 2013 terá constituído uma excepção.

4 - Transporte colectivo rodoviário:

No 2º trimestre de 2013, foram transportados 1.205.267 passageiros nas ligações urbanas regionais, menos 22,6% do que no trimestre homólogo anterior (2012). As ligações inter-urbanas (regionais) transportaram um total de 1.180.878 passageiros, menos 1,6% relativamente ao trimestre homólogo anterior (2012).

As ligações inter-regionais asseguraram o transporte de 325.082 passageiros, correspondendo a um acréscimo de 3,2% relativamente ao trimestre homólogo anterior (2012). As ligações internacionais (carreira Lagos – Sevilha) transportaram um total de 13.029 passageiros, o que se traduz num acréscimo de 2,4% relativamente ao trimestre homólogo anterior (2012).

Como principal destaque do modo rodoviário colectivo há a destacar as variações trimestrais homólogas negativas nas carreiras urbanas e nas carreiras inter-urbanas: nas primeiras trata-se já da 7ª variação negativa consecutiva; nas segundas, e após uma interrupção (no 2º trimestre de 2013) na já longa série de variações negativas voltou, neste trimestre, a verificar-se uma variação negativa. Em sinal contrário, destacam-se as variações trimestrais homólogas positivas verificadas no movimento das carreiras inter-regionais e internacionais. Nas primeiras, regista-se uma variação trimestral positiva que interrompe uma série de 5 semestres de decréscimos – e que, a par do aumento ocorrido no longo curso ferroviário, demonstra que a opção pelo transporte público no acesso à região durante o Verão de 2013 teve um peso importante –; nas carreiras internacionais (com volumes menos expressivos), esta é já a terceira variação trimestral positiva consecutiva.

5 - Transporte Aéreo:

Face à decisão da ANA – Aeroportos de Portugal, SA, em suspender a autorização para a disponibilização da informação relativa aos indicadores “número de voos”, “passageiros transportados” e “passageiros transportados de/para aeroportos nacionais”, não nos é possível, de momento, dar continuidade ao acompanhamento que temos feito sobre as dinâmicas do transporte aéreo.

Consulte aqui o boletim completo sobre Mobilidade e Transportes.